SEÇÃO I –VIAGENS DE FÉRIAS

mallet-advogados-associados-informativo-136-img1

Iniciamos o Informativo deste mês com duas sugestões de passeio para as férias de julho. As duas viagens proporcionarão vistas excepcionais da paisagem cósmica, repletas de aglomerados de estrelas, nuvens brilhantes de gás e resquícios de supernovas. Temos certeza de que, ambos os passeios, encantarão os nossos leitores!

Portanto, expandam as telas, ajustem as cadeiras, ouçam os sons, apertem os cintos e boa viagem!

O primeiro vídeo – https://www.youtube.com/watch?v=hy2cxmHuEAssugere uma viagem pelo universo. Na animação, os viajantes partem do Supernova ESO (Observatório Europeu do Sul), sobrevoam a Europa e continuam o percurso pelo sistema solar, pela Via Láctea, e por muitas outras galáxias.

O segundo vídeo – https://youtu.be/i5ILWJjiyWM – propõe uma viagem pela  Nebulosa da Tarântula. Gravação feita pelo telescópio VLT Survey Telescope do Observatório Paranal, localizado no Chile, mostra detalhes inéditos da Nebulosa da Tarântula. Esta nebulosa brilhante, localizada a 160 mil anos-luz da Terra, é, provavelmente, o elemento mais espetacular de todos os corpos celestes que fazem parte da Grande Nuvem de Magalhães — a galáxia anã e satélite da Via Láctea.

 mallet-advogados-associados-informativo-136-img2

A gravação, publicada no YouTube, revela a beleza desta nebulosa, que integra aglomerados de estrelas, nuvens de gás e muitos detritos que foram espalhados no espaço depois da explosão de uma supernova. Estas imagens, tiradas pelo telescópio VLT do Observatório do Paranal, são as mais nítidas de todas as imagens vistas até hoje.  Foram captadas por um grupo de astrônomos europeus. “O telescópio fotografou a região e seus arredores com todos os detalhes marcantes”, comentou um representante do Observatório Europeu do Sul, que inclui o Observatório do Paranal, ao jornal britânico Daily Mail. A Nebulosa da Tarântula, também conhecida como 30 Doradus, é a região mais brilhante do Grupo Local — um conjunto de galáxias ao qual a Via Láctea também pertence — onde se formam as estrelas. Ela se estende por uma área equivalente a mais de 1.000 anos-luz e está situada na constelação de Dorado.

Fontes: European Southern Observatory, Youtube, Ciberia, Sputnik NewsDaily Mail

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *