Pula a fogueira Iaiá,
pula a fogueira Ioiô.
Cuidado para não se queimar.
Olha que a fogueira já queimou o meu amor.

(Pula a Fogueira autor: João B. Filho)



(“Festa Junina”, de Militão dos Santos, 1956, Artista Pernambucano)
Festas juninas ou festas dos santos populares são celebrações que acontecem em vários países historicamente relacionadas com a festa pagã do solstício de verão na Europa ou do inverno no Brasil. Celebradas no dia 24 de junho, segundo o calendário juliano (pré-gregoriano), foram cristianizadas na Idade Média como “Festa de São João”. Outros dois santos populares celebrados nesta mesma época São São Pedro e São Paulo (no dia 29) e Santo António (no dia 13).
Essas celebrações são particularmente importantes no Norte da Europa — Dinamarca, Estónia, Finlândia, Letônia, Lituânia, Noruega e Suécia — mas também em grande escala na Irlanda, na Galiza, partes do Reino Unido (especialmente na Cornualha), França, Itália, Malta, Portugal, Espanha, Ucrânia, outras partes da Europa, e em outros países como Canadá, Estados Unidos, Porto Rico, Brasil e Austrália.
As festas juninas brasileiras podem ser divididas em dois tipos distintos: as festas da Região Nordeste e as festas do Brasil caipira, ou seja, nos Estados de São Paulo, Paraná (norte), Minas Gerais (sobretudo na parte sul) e Goiás, localidade em que ainda se mantêm a tradição da realização de quermesses e danças de quadrilha em torno de fogueiras.
No Nordeste brasileiro estão concentradas as maiores festas juninas do mundo, que reúnem toda a comunidade e milhares de turistas, com fartura de comida, quadrilhas, casamento matuto e muito forró, baião, xote, reizado e samba-de-coco.
Boa festa junina a todos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *